Nas últimas décadas, observamos a entrada cada vez mais cedo na Educação Infantil por múltiplas razões. Esse fato se relaciona com a dinâmica de cada família e com suas expectativas sobre a formação dos filhos. Vamos explicar um pouquinho como isso acontece.

Há crianças que chegam a berçários ou creches desde os 4 ou 5 meses de idade. Outras ingressam nas escolas infantis ao completarem seu primeiro ano de vida, na classe do Maternal, que pode ser subdividido em Maternal 1 e 2. Na rede privada de ensino, a maioria dos meninos e meninas começa sua escolarização aos 2 anos, no Infantil 1 ou Grupo 1. As turmas seguintes são assim denominadas: Infantil 2 ou Grupo 2 (3 anos), Infantil 3 ou Grupo 3 (4 anos) e Infantil 4 ou Grupo 4 (5 anos). Conheça mais sobre as características de cada uma dessas fases logo a seguir. Possivelmente, muitas de suas dúvidas serão esclarecidas.


O que é o Ensino-Aprendizagem na Teoria Socioconstrutivista?

Uma escola que se propõe a orientar o processo de Ensino-Aprendizagem em uma abordagem socioconstrutivista é exemplo de instituição que contempla ao máximo as possibilidades de interação das crianças com os diversos conteúdos, objetos de conhecimento a serem aprendidos. O projeto pedagógico prioriza as interações dos aprendizes com seus pares, professoras e demais adultos de referência da escola.  Brincadeiras e atividades lúdicas são eixos estruturantes do currículo.

Os estudos sobre Desenvolvimento Infantil trazem diversas teorias para nortear a atuação da professora na hora de planejar as aulas. Entre esses estudiosos, as escolas socioconstrutivistas são inspiradas, especialmente, pelos educadores Lev Vygotsky e Jean Piaget, dois teóricos extraordinários, guias para nossa prática pedagógica. O Socioconstrutivismo defende a importância de a escola desenvolver uma atitude investigativa nas crianças desde cedo, possibilitando a formulação de hipóteses, observações e experiências, o que proporciona, aos pequenos e pequenas, assumirem o papel de protagonistas na construção de conhecimentos nos diversos Campos de Experiências do Currículo.

Na perspectiva socioconstrutivista, o papel da linguagem é fundamental. Seja oral, escrita ou matemática, as linguagens são vistas como poderosos instrumentos para o desenvolvimento do pensamento. A trajetória de aquisição dessas ferramentas são, essencialmente, vinculadas às interações das crianças entre si e com adultos que estão mais familiarizados com as diferentes linguagens simbólicas. No convívio com o outro, o aprendiz se torna mais cooperativo, empático, tolerante, respeitoso e com ampla visão crítica do mundo que o rodeia.

A professora da Educação Infantil é mediadora cuidadosa entre os aprendizes e os objetos de conhecimento. Em suas propostas, são sempre considerados os conhecimentos prévios trazidos pelas crianças e as experiências que elas já possuem sobre o universo que as cerca. A educadora estimula e orienta cada estudante de um jeito particular. Respeita o ritmo e as condições reais de cada um para que as vivências pedagógicas tragam bem-estar a partir da busca de novas descobertas, conectadas com o cotidiano, tanto na família quanto na escola. Assim, novas situações e atividades interativas acontecem em ambientes onde os pequenos e pequenas são capazes de construir e ampliar seus saberes, apoiados nas quatro dimensões da Educação Integral: saber conhecer, saber fazer, saber ser e saber conviver.


Quais são os diferenciais do Maternal e do Infantil 1, turmas do início da vida escolar, no Colégio Apoio?

No início das experiências escolares, bem como em toda Educação Infantil, o brincar é o fio condutor de grande parte das propostas realizadas pelas professoras do Colégio Apoio. É brincando que as crianças desenvolvem sua identidade, autonomia e imaginação. Assim, capacidades significativas de socialização por meio da interação e da vivência dos papéis sociais são amadurecidas. Ao chegarem ao Maternal ou ao Infantil 1, os meninos e as meninas começam a dar conta de suas primeiras experiências sociais fora da família. Cabe ao Colégio cuidar, de modo personalizado, desse precioso processo de adaptação, que necessita também da colaboração da família.

A integração entre o cuidar e o educar é essencial nessa fase adaptativa, uma vez que, ao serem cuidadas, as crianças aprendem a cuidar de si e dos outros. Apesar de muitas delas ainda não falarem durante essa fase, seria um equívoco pensar que elas não estão aprendendo, pois é no brincar que elas inauguram a exploração do mundo para além de suas casas. Processo que amplifica suas capacidades intelectuais e emocionais através das vias sensorial, motora, mental e discursiva.

Especificamente com os estudantes do Maternal e Infantil 1, desenvolvemos temas de essência lúdica e interativa. A articulação socioeducativa em diferentes espaços dos ambientes da Educação Infantil, tais como salas de aula, parque, ludoteca, cozinha experimental, jardins, campinho e sala de movimento, acontece em clima de leveza e liberdade. Nessa fase, a musicalização também desempenha uma função de extrema relevância. Em artigo publicado na Revista Gestão Universitária, em 2019, a pedagoga Arcelita Koscheck, formada pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), diz: 

"A convivência da criança com a música na Educação Infantil desde cedo propicia um contexto escolar de aprendizagem interessante e ativo, sendo a musicalização uma grande aliada do professor mediador para a descoberta e a construção de novos saberes educacionais".

Em sintonia com Arcelita, o Colégio Apoio proporciona sessões de Musicalização, com professor especialista, semanalmente. A Psicomotricidade Relacional, organizada em sessões quinzenais, também é contemplada como atividade de enriquecimento do nosso currículo. 


A partir do Infantil 2 meu filho já pode aprender inglês?

Sim, sim! No Colégio Apoio, as crianças vivenciam, já a partir do Infantil 2, três momentos por semana, totalmente, em Língua Inglesa. Porém, é importante destacar que o Infantil 2 vai muito além disso.

Como ressalta Madalena Freire, filha do também educador Paulo Freire: 

“A rotina da Educação Infantil pode ser entendida como a cadência sequenciada de atividades diferenciadas que se desenvolvem num ritmo próprio, em cada grupo”.

Sendo assim, a maior parte das situações de aprendizagem que integram a rotina vivida no Infantil 2 é organizada para proporcionar aos alunos ricas experiências de troca com pares, em pequenos grupos ou com a turma inteira - atividades fundamentais à construção da identidade e ao processo de socialização. As brincadeiras, aliadas às interações, marcam a rotina da classe. São partes integrantes e valiosas dos eixos metodológicos do currículo da aprendizagem infantil do Colégio Apoio. Por meiodelas, os pequenos e pequenas dão sentido ao grande mundo. Descobrem mais a respeito de si e dos outros. Produzem histórias, criam aventuras, experimentam e fazem arte, constroem conhecimentos sobre a realidade como um todo. Ressignificam o que vivem e o que sentem.


Qual a relevância da cultura na Educação Infantil?

Em nosso Colégio, educação e cultura caminham juntas já no início. Na Educação Infantil do Apoio, as crianças são estimuladas em suas descobertas, apropriações e produções  culturais. Das tradicionais às contemporâneas, das de raiz às universais. No currículo integral da escola, integramos literatura, música, dança, teatro, cinema, televisão, brinquedos populares, reciclados e criativos. Potencialização e ampliação das diversificadas experiências artísticas e imaginativas da infância.

Na aquisição de repertórios dessas turminhas, também são inseridos conceitos com maior grau de complexidade, como a organização de uma cultura cronológica da rotina. É nessa fase que as crianças se relacionam com o quadro de suas atividades diárias, organizador das atuações em sala. Mesmo sem ainda saberem fazer a leitura das horas nos relógios, nossos aprendizes reconhecem o momento de lanchar, brincar ou fazer trabalhos manuais, por exemplo.


O que acontece depois que meu filho internaliza a rotina escolar?

É importante compreender que o desenvolvimento das crianças não acontece de forma linear. As mudanças vão acontecendo, gradualmente, em períodos contínuos que se sucedem e se superpõem. Durante a evolução, os meninos e meninas experimentam seus avanços de modo particular. Por isso, a importância de não atropelar os tempos nem pular as fases da aprendizagem infantil.

Ao longo do Infantil 3, os estudantes já evidenciam a boa apropriação da rotina escolar, adquirida nos percursos do  Infantil 1 e Infantil 2. Agora, com mais segurança, eles estão mais disponíveis para ampliar suas relações interpessoais, inclusive com pessoas de outros grupos. Exploram todo o ambiente físico, munidos de maior equilíbrio corporal. Sobem, descem e atravessam obstáculos com crescente destreza. E sempre são acompanhados dos importantes momentos de brincadeira e de todas as demais atividades que promovem o movimento e a consciência do corpo. O fortalecimento da amplitude corporal é, constantemente, trabalhado pela Psicomotricidade Relacional e Yoga, disponibilizadas a todas as turmas  e incentivadas pelo Colégio Apoio com grande entusiasmo. 

Ainda na fase do Infantil 3, a criança costuma se apresentar mais falante e questionadora, fator importante para o desenvolvimento da linguagem e do pensamento. Seu nível de concentração e de memorização está aguçado. Sua linguagem oral, aprimorada. Suas atividades gráficas, como desenhos e modelagens, mais amadurecidas. Muitos estudantes começam a se interessar pela  escrita e ter curiosidade sobre a leitura - ambas exploradas de forma contextualizada e com função social definida. No Colégio Apoio, o acesso aos diferentes portadores de textos e aos encantos da literatura é muito apreciado pelos meninos e meninas de 4 anos. É também nesse período que se torna mais sistemática a construção das noções matemáticas: numéricas, geométricas, de medidas e grandezas, incrementadas por meio de diferentes propostas de jogos e situações-problema.

Nos alunos e alunas dessa faixa-etária, as produções artísticas já revelam um olhar mais atento para os elementos da linguagem visual: cores, formas, linhas, luminosidade etc. A criatividade é bastante estimulada, por meio das diversas modalidades da arte nas rotinas diárias.

 

Último ano da Educação Infantil: o que esperar da conclusão do ciclo?

Aqui começa a importante transição entre a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. Durante o Infantil 4, seguem os investimentos no senso de coletividade, no respeito à diversidade e na conquista da maior autonomia na resolução dos conflitos entre os pares e da expressão harmoniosa das emoções e dos sentimentos.

Muito mais curiosas, as crianças circulam bem entre os amigos. Brincam de um jeito diferente, apresentam maior riqueza de repertório nas interações. Passam a buscar os amigos pelos interesses em comum. Estreitam vínculos ao distinguirem os amiguinhos mais próximos.

No campo da Linguagem, como pontuamos anteriormente, cresce o interesse pela leitura e escrita na maioria dos aprendizes. Eles passam a interagir com diversos textos, contar histórias com detalhes e, até mesmo, recitar poemas longos. O maior amadurecimento cognitivo, socioemocional e motor facilita a realização de atividades mais complexas e o desenvolvimento de projetos que articulam os diversos Campos de Experiências do currículo. 

Podemos destacar ainda o avanço visível nas áreas da Matemática do Refinamento Motor. Sim! No Infantil 3, a criança já revela sua maior compreensão dos números e das relações entre eles. Demonstra seus conhecimentos geométricos e relativos às grandezas e medidas, evidenciando um maior poder de raciocínio. Sim! No Infantil 3, os desenhos já são bem estruturados e a organização no espaço gráfico é um desafio que os alunos dessa idade enfrentam com interesse e empenho. Experimentam incontáveis possibilidades do fazer artístico e têm curiosidade para aprender sobre a vida e a obra dos artistas plásticos. 

Em síntese: as experiências vividas nessa época, somadas ao aprendizado das fases anteriores, tornam a criança segura de suas habilidades sociais e cognitivas no final da Educação Infantil e aberta à absorção de uma nova etapa da vida escolar: o Ensino Fundamental. Vale lembrar ainda que o percurso da alfabetização é iniciado desde que chegamos a este mundo. Na verdade, seria impossível aprender a ler, escrever e interpretar somente com os aprendizados adquiridos no primeiro ano do Ensino Fundamental. Por melhor que ele seja. A leitura propriamente dita não começa com as letras e as vogais. Parte das leituras do mundo, das subjetividades, das imagens e dos textos de diversos gêneros que circulam socialmente. Em especial, os literários e os da tradição popular. A percepção de tudo isso faz o aprendiz reconhecer o universo em que se encontra inserido. E interpretar tudo que existe nele e ao seu redor. 

O alfabetizar-se evolui a cada dia. Na vivência de diferentes práticas sociais e dos mais variados acessos à leitura e à escrita. É um largo processo progressivo que envolve o currículo da escola, a professora, o aluno, sua família e toda a comunidade. Nesse sentido, o Colégio Apoio, referência em abordagem construtivista no Recife, tem o compromisso com o desenvolvimento de uma proposta educacional ampla e inclusiva. Acreditamos, fervorosamente, que o mundo é nossa sala de aula. Respeitamos, em todas as fases, o tempo de cada um e de cada uma dos nossos alunos e alunas. Do comecinho da Educação Básica, ao longo de toda a sua vida escolar, construímos juntos - estudantes, educadores e familiares - a trajetória da formação de cidadãos e cidadãs bem preparados, criativos, questionadores e conscientes de seus papéis na sociedade. Não é disso que o planeta precisa?

a

[]